PROJETO NOVOS OLHARES JAN-FEV/2021 5/6

Equipamentos Travessia – Infraestrutura como arquitetura no espaço perimetropolitano

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro/RJ

Este trabalho discute o potencial infraestrutural da arquitetura como meio de superar barreiras causadas por grandes intervenções viárias na periferia metropolitana, a partir da criação de espaços públicos como estimuladores sociais e políticos.

Mapas: No esforço de entender melhor a espacialização das dinâmicas que regem as bordas da Rodovia Presidente Dutra, foram elaborados mapas que sobreporem uma série de dados (densidade populacional, atravessamentos, cruzamentos, relevo) bem como interpretações sobre o mesmo.

 

A periferia metropolitana se comporta como um complexo sistema de segregação social e autoconstrução, originada por uma expansão descontínua da cidade. Suas lógicas de ocupação e mobilidade produzem dinâmicas que fogem às leituras tradicionais do espaço urbano.

Isométrica: Ao se complexificar o problema do atravessamento se está pensado o espaço arquitetônico como organizador e agregador da política urbana e social. A passarela então se torna um equipamento público esportivo localizado em um bairro residencial e ainda conectado a uma rodovia interestadual.

Este trabalho se fixa na Rodovia Presidente Dutra, no trecho compreendido na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, e transita entre estudos bibliográficos, cartográficos, ensaios estratégico-projetuais e projeto de arquitetura.
Observando os atravessamentos de pedestre dessa Rodovia, se definem quatro trechos em que são ensaiadas estratégias projetuais através de colagens de projetos existentes que refletem como essas infraestruturas podem ir além em termos de forma, performance e programas. Projetando infraestrutura como agregadora da política urbana-social.
O projeto ‘piscina posto’ é proposto em São João de Meriti, cidade extremamente densa. A utilização do espaço aéreo da Rodovia para a implantação de equipamento público enquanto “resolve” a falta de terrenos disponíveis, ironiza com a ideia de um espaço não regulamentado. A passarela é encapsulada por um equipamento público com múltiplos programas, horários de funcionamento e acessos, expandindo as possibilidades de fluxos de pessoas e dinâmicas sociais.

Corte perspectiva: Acima da rodovia se percebe o parque aquático que conta com duas piscinas, arquibancada e vestiários, enquanto que à esquerda se localiza o bloco cultural que conta com biblioteca, espaço expositivo, auditório, estacionamento, administração, restaurante e quadra poliesportiva.

 

Cena 1, o viaduto: “Para os passantes da Rodovia Presidente Dutra na altura de São João de Meriti, a obra do novo Centro Cultural-Esportivo deve estar gerando confusões. Se trata de uma piscina olímpica suspensa que servirá à população, o complexo contará com atividades abertas ao público”

 

Cena 2, manhã de domingo: “Moradores de São João se refrescam nesse verão escaldante nas piscinas do novo Centro Cultural São João de Meriti. Faça já sua inscrição gratuita para utilização livre do espaço aos domingos. Mas lembre-se chegue cedo! ”

 

Autora:

Maria Rúbia Martelletti Grillo Pereira

Orientação:

Cauê Capillé

Share Button