PROJETO NOVOS OLHARES DEZ/2020 5/5

Requalificação Urbana para uma Cidade Lúdica

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo / UFRJ – Rio de Janeiro/RJ

O trabalho visa ocupar o espaço público através da dinâmica do corpo lúdico. O principal desafio do trabalho é criar um projeto que explore as interseções entre a cidade e as necessidades do corpo frágil, utilizando o lúdico como um estímulo para o despertar ser criança.

 

Foram analisadas as principais necessidades físico-motoras do corpo frágil, identificadas e sugeridas as AÇÕES possíveis no espaço que responderiam ao programa e às áreas de apoio.A cidade não comporta o corpo frágil. O conceito se desdobra sobre a forma do corpo lúdico de experimentar e ocupar o espaço urbano. O objetivo é criar um espaço público dinâmico, promover o lúdico pelo ato de brincar incondicional e com mais autonomia, permitir a ruptura do cotidiano criando novos percursos a serem explorados, desenvolver um projeto inclusivo que desperte o ser criança, respondendo também aos anseios em relação à cidade. Espaços desconectados do Centro de Niterói – RJ são integrados promovido pelo desejo de uma cidade mais acessível, mais alegre e lúdica. Assim como as crianças ressignificam os equipamentos públicos, a proposta consiste em um mobiliário versátil e com múltiplas funções, estimulando o imaginário infantil. Uma fita em forma de dobradura envolve todo o projeto e une os distintos usos e espaços da cidade, como se os elementos construtivos que compõem a FAIXA DE OPÇÕES atuassem como uma “massa moldável” que vai se adaptando ao terreno, à paisagem existente e aos programas, ora traduzidos em caminhos, playground, estrutura, cobertura e vegetação. O parque incorpora MEDIATECA, BRINQUEDOTECA, LANCHONETES, CINEMA E TEATRO AO AR LIVRE, ESPAÇO MULTIFUNCIONAL e PLAYGROUNDS, conectados por este circuito de caminhos e passarelas.

O projeto teve como diretriz ações de intervenção como UNIR, ENCORAJAR, PROTEGER, ESTIMULAR, INCORPORAR acionadas como resposta às experiências obtidas em visita exploratória.

 

Materiais e cores são coordenados em todo o parque para criar uma expressão contínua, além de criar um espaço lúdico que pode suportar atividades futuras e uso versáteis. Para vivenciar o parque é preciso aventurar-se, subir até o seu ponto mais alto para de lá ver toda a cidade.

 

Implantação e corte longitudinal da proposta de intervenção. O percurso é ativado por essa fita em forma de dobradura. O projeto explora a faixa de opções como elemento unificador do espaço que une os programas.

 

Perspectiva do projeto com a implantação de um espaço público dinâmico que propõe a vivência da cidade com mais autonomia. O parque incorpora MEDIATECA, BRINQUEDOTECA, LANCHONETES, CINEMA E TEATRO AO AR LIVRE, ESPAÇO MULTIFUNCIONAL e PLAYGROUNDS, conectados por um circuito de caminhos e passarelas.

 

Autora:

Tassiane Gavina Eyer

Orientação:

Ethel Pinheiro

Share Button