PROJETO NOVOS OLHARES DEZ/2020 1/5

Brincar para cuidar: Centro de Atenção à Criança com Câncer em Curitiba-PR

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Curitiba/PR

O projeto visa criar um espaço que possibilite a manutenção da rotina de crianças em tratamento oncológico, garantindo a troca de experiência através das relações sociais aliada ao apoio psicopedagógico e continuidade do desenvolvimento infantil.

O acesso ocorre através de uma rampa que circula pelo terreno e invade os blocos de vidro como forma de marcar a entrada. O programa foi dividido de modo que as crianças tenham privacidade no pátio abaixo do nível da rua, enquanto outras atividades ocorrem nos blocos superiores.

 

Localizado no terreno do Hospital Oncopediátrico Erastinho, o projeto busca trazer auxílio psicossocial e pedagógico a pacientes e familiares que realizam tratamento em Curitiba/PR, oferecendo centros de atividades, atendimento e casa de apoio. Estar em contato com a rua foi o primeiro modo encontrado de trazer a escala doméstica ao equipamento. O segundo foi a divisão do programa em blocos de 100m², que através de sua disposição buscou preservar as árvores existentes no local. Como forma de união foi criado um pátio central, destinado ao ato de brincar que, a fim de trazer conforto e segurança, foi rebaixado do nível da rua e cercado por setores de atividades de desenvolvimento motor, psicopedagógico e social.

O equipamento se comunica com a rua e com o Hospital ao fundo, trazendo a escala doméstica do entorno através de sua implantação e disposição em blocos ortogonais de 10x10m e mantendo as árvores existentes no terreno.

 

Como forma de integrar o projeto ao entorno, os setores foram dispostos em três níveis: o acesso, que também comporta as atividades com público externo, o pátio de brincadeiras e o bloco “descansar”, que acomoda a casa de apoio na região mais silenciosa do terreno.

O projeto visa atenuar as mudanças de rotina das crianças, focando em ambientes lúdicos que estimulem novas relações entre os usuários. Conceitualmente foram utilizadas linhas curvas para isso, que transpassam os módulos ortogonais e atribuem um significado puro e simples ao espaço, garantindo a possibilidade de constantes encontros e descobertas. Da mesma forma, plástica e materialidade buscam transmitir conforto e esperança: com um embasamento sólido e blocos com transparência e luminosidade projetadas, traz-se à edificação toda a ludicidade pretendida.

Protegido por muros de arrimo sinuosos que cortam a ortogonalidade dos blocos fechados, o pátio central garante espaços amplos e cheios de descobertas para que as crianças realizem inúmeras atividades dentro de suas limitações.

 

Para reforçar o conceito de esperança a materialidade foi definida de modo que houvesse um embasamento sólido e blocos com transparência e luminosidade projetadas para garantirem a integração visual entre todos os blocos, que agem como faróis a noite.

Para mais detalhes, assista ao vídeo, clicando aqui.

 

Autor:

Matheus Henrique Cruzara

Orientação:

Yumi Yamawaki

Share Button