PROJETO NOVOS OLHARES NOV/2020 2/15

AQUI E ALI: Um ensaio projetual sobre inclusão em Itajobi

Universidade Presbiteriana Mackenzie, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – São Paulo/SP

O projeto acontece em Itajobi, interior de SP. Partindo do ânimo de analisar o espaço rural e especular sobre seu papel em um futuro tecnológico, o estudo busca a criação de um espaço público novo, que ostenta equipamentos urbanos e culturais, a fim de qualificar a cidade e conectar seus habitantes.

A cidade de Itajobi e seu contexto. O projeto explora a beleza natural e histórica desta cidade, contrária a uma leitura romantizada deste como local de fuga das mazelas metropolitanas. Mapas da topografia, hidrografia e raio de expansão da malha urbana apresentam o partido de maneira geral.

O projeto trata de Itajobi, uma pequena cidade do interior de São Paulo, como exemplo da atual condição de muitas cidades rurais do Brasil. Sofrendo um déficit habitacional desde o final do século XX até o começo da década passada, surgiram políticas habitacionais que criaram loteamentos afastados do centro da cidade sem a menor infraestrutura urbana, que acabaram por segregar esta pequena população.

O masterplan a partir dos diagramas de implantação. A ocupação das margens do vale como uma maneira de aproximar o projeto com a cidade existente. As edificações são conectadas por uma ampla passarela – que mais do que um espaço de passagem, é um espaço de encontro e contemplação da cidade.

Partindo desta condição atual e da identificação de um sentimento conservador nostálgico de um passado marcado pelos carnavais de rua que ocupavam o centrinho da cidade, o projeto surge como um equipamento cívico de encontros para que se fomente a perspectiva de um futuro também glorioso. O parque cultural comporta uma série de pavilhões às margens do Rio Monjolinho (maior patrimônio da cidade). Interligados por uma ampla passarela elevada (uma espécie de palco para que se veja os dois lados da cidade) os programas destes pavilhões variam desde um complexo de educação infantil até um conjunto cultural com o museu de Itajobi – onde serão expostos itens da história e do cotidiano da cidade.

Os diferentes programas do projeto. A implantação de cada um se deu de maneira estratégica prevendo o encontro dos usuários ao longo do dia, assim sobrepostos no diagrama. O desenho à mão livre é parte fundamental do processo criativo, que visam retratar o encontro e o imaginário dentro do desenho.

 

A biblioteca municipal é o principal ponto de acesso à passarela. Acessa-la por meio da biblioteca é como um simbolismo referente ao acesso democrático do conhecimento por meio da interação comum. Internamente, a biblioteca não possui paredes, tendo seus ambientes definidos por diferentes níveis.

Trazer estes novos olhares para as cidades menos densas do país possibilitaria a elas especularem sobre maior pluralidade e a sua inserção no debate político em um contexto maior.

O complexo cultural e a praça. Este é o outro ponto de principal acesso à passarela, simbolizando enfatizar a cultural local para que então se veja a cidade. A galeria de artes é semienterrada no solo e sua cobertura é palco de contemplação do vale, além de um acesso ao museu (pavilhão superior).

Autor:

Breno Quaioti

Orientação:

Angelo Cecco Júnior, Lucas Fehr

Share Button